NK Training - Soluções em Treinamento - Serra/ES

Notícias

Mulheres conquistam mercado de trabalho da construção civil

Mulheres na construção civil mudam cultura do canteiro de obras. Cada vez maior de mulheres no mercado estão migrando para o setor. 

Quarenta quilos de cimento, roldana abaixo e 20 kg nas costas, escada acima. E mais 20 pás de areia para fazer concreto, carregar o carrinho com entulhos e, por fim, finalizar os acabamentos da obra. Tudo isso sob o forte sol de Teresina. Tarefas árduas não intimidam as mulheres da construção. Depois de conquistar espaço nos escritórios, empresas e nos trabalhos como taxista, cobradora e motorista de transporte coletivo, as mulheres estão se firmando cada vez mais num mercado que antes era somente masculino: a construção civil.

Há quem diga que este é um ramo apenas para homens e realmente era até pouco tempo. Agora, as esposas, mães e filhas já podem disputar esse mercado. Ainda há resistência das empresas na hora da contratação, mas isto é uma coisa que já está mudando e diversas mulheres estão se capacitando para ingressar neste novo mercado.

De acordo com dados do Ministério de Trabalho e Emprego (MTE), o número de mulheres que exercem atividades na construção civil aumentou 65% na última década. Em 2010, foram contabilizadas mais de 200 mil trabalhadoras com carteira assinada no país, segundo a CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção). Isso equivale a 8% do total de profissionais que trabalham na construção civil. No Piauí, segundo o CAGED em 2014, elas ocuparam quase 2 mil postos na construção civil.

O ingresso das mulheres nos canteiros de obras foi impulsionado por um aquecimento inédito do setor, puxado principalmente pelos projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e pelas moradias do programa Minha Casa, Minha Vida.

Com habilidades apuradas para trabalhos detalhistas, as mulheres começaram a se misturar entre os homens em canteiros de obras do Piauí há alguns anos. Com um enorme espaço para expansão, elas desafiam o preconceito e muitas vezes a falta de condições iguais de trabalho.

De acordo com o Sindicato das Indústrias da Construção Civil de Teresina (SINDUSCON Teresina), o setor da Construção Civil foi responsável por 37% dos empregos gerados no Piauí no ano de 2010. E as mulheres também aumentaram seus postos de trabalho no setor nos últimos anos. Segundo dados do RAIS/MTE, em 2007 no Piauí eram 709 mulheres trabalhando no setor. Já em 2008 o número cresceu para 1.084 e em 2009 subiu para 1.220. “A Construção Civil está crescendo cada ano mais e mais e a participação das mulheres no setor será indispensável”, afirma o presidente do SINDSUCON Teresina, André Baia.

André Baia acredita que o setor é o que mais responde rapidamente quando é estimulado por investimentos. “Com 90 dias após intervenção financeira, a Construção Civil começa a gerar empregos e, por meio dele, puxa os demais setores”, explica.

Empregadas por Lei
As mulheres do Piauí contam desde 2014 com a Lei nº 6.480, que autoriza o Governo do Estado a fazer constar em todos os editais de licitação e contratos diretos sem licitação a exigência de reserva de, no mínimo, 5% das vagas de emprego para mulheres na área de construção de obras públicas.

Fonte: site 180graus.com
Publicado: 07/04/2016
.
NK Training - Soluções em Treinamento - Serra/ES

Endereço:
Av. dos Metalúrgicos, Nº 49
São Geraldo - Serra - ES
CEP 29163-402
Tel.: (27) 3318-9522 / 99622-9804
Receba dicas por e-mail:


Site desenvolvido por Êxito Publicidade